Sexta-feira, 24 de Maio de 2019


Quinta-feira, 09 de Maio de 2019, 16h:53 - A | A

PROMESSA NA ROÇA

Secretário de Agricultura de Tangará abandonou agricultura familiar do Antonio Conselheiro, diz Atanásio

Líder dos produtores rurais lembra compromisso de Ander Santos e exige entrega de conjunto de grade para preparar terra para o plantio

EDÉSIO ADORNO
Tangará da Serra

Reprodução/Facebook

image

O Presidente da Central de Associações de Produtores do Assentamento Antonio Conselheiro, Aldo Atanásio, que também é proprietário de um lote na Agrovila 26, próximo a escola Marechal Rondon, reclama da ineficiência e do abandono a que foram relegados pela Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Tangará da Serra (Seapa), que é gerida pelo petista Ander Santos.    

No começo de agosto de 2017, com pompa, cerimônia e festejo, o prefeito Fábio Junqueira (MDB), ladeado por vereadores e pelo chefe da Seapa, fez a entrega de uma mini patrulha composta por um trator, uma carreta agrícola e um distribuidor de calcário. Os equipamentos foram adquiridos pelo governo do estado por meio de emenda parlamentar do então deputado Saturnino Masson (PSDB).    

Atanásio recorda que na época, o secretário Ander Santos se comprometeu em viabilizar um conjunto de grade para arar a terra.  

“Ficou só na promessa, na tapeação. Precisamos preparar a terra e não temo o equipamento necessário. Não temos condições para comprar e nem para alugar. Às vezes, quando pode, um vizinho nos empresta sua grade”, lamenta    

O dirigente da Central da Associações de Produtores denuncia que Santos usa o cargo de secretário para fazer política partidária e beneficiar quem tem ligação com o PT.    

“O Ander articulou com o deputado Barranco e conseguiu um caminhão para uma cooperativa da Agrovila 28, que fica no município de Barra do Bugres. Acho que Ele deveria ajudar os parceleiros de Tangará da Serra, pois somos nós de Tangará que pagamos o salário dele”, argumenta.

O líder dos produtores rurais do assentamento Antonio Conselheiro enfatiza que a Secretaria de Agricultura e nada é a mesma coisa. “Não tem política de incentivo e nem de apoio à agricultura familiar”, reclama Atanásio.

Reprodução/Web

Agrovila 26

Solenidade de entrega de equipamentos a Central das Associações de Produtores do Assentamento Antonio Conselheiro, realizada em agosto de 2017. Falta secretário de agricultura, Ander Santos, cumprir a promessa e entregar o prometido conjunto de grade para os agricultores preparar a terra para o plantio

   

Aldo Atanásio afirma que o assentamento Antonio Conselheiro enfrenta três problemas graves: falta de manutenção das estradas, falta de um caminhão para escoar a produção de banana e a regularização fundiária dos lotes.    

“Estamos perdendo banana pela impossibilidade de retirar a produção da lavoura. O corte deve ser feito a cada 15 dias, sob pena de perde tudo. Precisamos de um caminhão para levar para Cuiabá o que produzimos”, relata ele.    

“Estamos há mais de 20 anos trabalhando e produzindo na terra. Infelizmente não somos reconhecidos pelos governos e nem respeitado pelos políticos. Precisamos do título definitivo dos lotes que ocupamos. Sem escritura não temos acesso a crédito e continuamos na eterna condição de sem-terra, de meros posseiros”, afirma Atanásio, que demonstra certa confiança no governo Bolsonaro, no deputado federal Nelson Barbudo e na senadora Selma Arruda.

Imprimir




image
image
image
image


(65) 99978.4480

abroncapopular@gmail.com

Tangará da Serra - Tangará da Serra/MT